domingo, 2 de agosto de 2009


As mulheres portenhas sao incrivelmente lindas...
Por la segundo meu amigo portenho Aldo, existem as super-minas, que sao mulheres que vao alem da beleza e que tem o seu charme como
o mair fator de atracao para o sexo oposto, e eu pude confirmar que isso e verdade mesmo.
Desta vez, minha visita a capital argetina foi bem mais proveitosa, pois alem de conhecer um pouco da noite de Buenos Aires
com um nativo, o Aldo, pude passar 6 dias naquela cidade que tem um ar bem diferente realmente de qualquer outra cidade da America do Sul.
As pessoas sao a meu ver mais elegantes e possuem um certo ar de superioridade com relacao aos demais. Em outras palavras,
os habitantes de Buenos Aires tem uma atitude diferente da nossa no Brasil, atitude essa que nao posso relacionar com nenhum dos nossos
tipos de brasileiros.
A capital argetina e muito linda mesmo, pode-se notar forte presenca da cultura italiana nas pessoas, e uma cultura muito forte e caracteristica
argentina nas ruas. O maio orgulho do argentino e definitivamente ser argetino.
Os portenhos (buenos airienses) por sua vez sao distintos daqueles que nao habitam a capital. Alem da notavel diferenca no jeito de falar
o castellano, os portenhos sao diferentes dos demais argentinos.
E errado por exemplo, achar que em toda argetina se diz caje e nao calle como seria o correto. Isto so acontece na Capital, que por sinal
concentra alrededor de 12 milhoes dos quase 40 milhoes que tem todo este imenso pais.
Imenso sim, bem acima da maioria dos paises este pais tem grande diferenca no clima em seu eixo norte-sul.
A parte mais ao norte encontra-se na altura da grande Sao Paulo e pode registrar temperaturas superiores a 30 graus na mesma manha que
no sul da Argetina, em Ushuaya encontra-se neve na cidade.
Por falar em Ushuaya, esta cidade foi meu ultimo ponto na Argentina antes de entrar no Chile.
Ficamos todos maravilhados com o que vimos. Ushuaya e a cidade que fica mais proxima da Antartida em todo oo planeta Terra,e e a cidade que
fica mais ao extremo sul de todo o mundo (vide mapa mundi) e e literalmente o fim do mundo.
Pude ver na telinha da tv do navio que acompanhavamos a proximidade com a Antartida.
Ela ficava a 1000 km.
Montanhas nevadas e estacoes de esqui e o que rola nessa cidade que tem 70 mil hab. e tem restrito acesso a internet.
Que loucura. Tentamos usar e fomos informados que toda a cidade estava sem conexao.
E o frio sim estava comendo. Mas o dia em Ushuaya foi realmente proveitoso, pois tomamos uma excursao em um barco que passava pelo canal beagle
e ao redor desse canal que ja fez muitos navios de vi imas por ser perigoso e por estar cercado de ilhas. Pudemos avistar populacoes de aves marinhas
e de focas e lobos marinhos. Foi uma experiencia muito boa, alem da visao maravilhosa que se tem da cidade que abriga o fim da cordilheira
dos andes.
Voltando um pouco no tempo, antes de partir de Buenos Aires tive uma noite que me passou, como toda grande aventura, algo totalmente inesperado.
Passasse que eu sou fanatico de futebol. Estava em Buenos Aires, lar de um dos maiores clubes de futebol do mundo, o Boca Jrs. Em nossa primeira
manha na B.A fizemos um city tour que alem de conhecer locais chaves para a cidade, passamos pelo bairro chamado "La Boca" e que abriga o estadio
"LA BOMBONERA". Nesta oportunidade, ja sabendo que naquela noite haveria jogo do Boca pela libertadores da America, conversei com alguns cambistas e com a
cara e a coragem que se necessita em muitas ocasioes, comprei um ingresso para o jogo daquela noite. Ate ai tudo muito bem, seguimos nossoo passeio por B.A
, almocei com minha vo que era ate entao minha unica companheira de viagem enquanto minha mae e meu padastro nao chegavam, naquele dia na Avenida Corrientes em uma das inumeros Lanchonetes Cafeterias que abriga a capital argentina e a tarde saimos para passeas pela plaza de la flor,
que abriga uma flor de metal gigante, que a noite se fecha como se se preparasse para na manha florecer(vide orkut). Ao anoitecer tomamos um taxi e eu ao despachar aquilo que nao precisava
no hotel sai a procura de um bus que me levasse para o "LA BOMBONERA".
Chegando la me deparei com uma fila para entrar no estadio. O jogo comeca, e nada da fila andar, o que se passou depois foi um dos momentos mais aterrorizantes de minha vida.
Eu fui empurrado, ate que o empurrar virasse esmagar, e a fila que antes existia agora era um corredor de gente fechando toda a rua, e ninguem conseguia se mover de tanta gente que havia ali.
Depois dessa multidao empurrar tanto as barreiras de ferro, chegaram policiais de cavalo e meteram cacete em quem tinha pelo meio.
Eu s?me dei conta que havia os policiais alguns momentos depois, e da?a unica alternativa que pensei foi que possivelmente nao iriam me bater se eu pusesse minhas maos para cima.
Foi o que eu fiz e deu tudo certo.
Apos alcamar a situacao, os policiais fizeram uma barreira e deixaram passar devagar todos os torcedores.
Entrei aos 32 minutos do primeiro tempo, e vi depois de entrar na Bomboneira Palermo fazer Boca 1 a 0 em cima do Guarani do Paraguay.
Quando esse gol saiu, vi que valeu a pena todo o sofrimento que havia eu passado, pois a comemoracao da torcida foi simplesmente incrivel.
O La Bombonera deve cair se nao passar por reformas, pois ali o chao tremeu de uma maneira que eu realmente nao entendi como nao foi ao chao.
O jogo acabou 3 a 1. e tive que caminhar como 4 km para sair da multidao e tomar um transporte de volta ao centro de buenos aires.
Voltando a Ushuaya, pudemos ver muitos animais incomuns, como leos marinhos, focas e outros habitantes do pacifico.
O pacifico ali e bem interessante nesse aspecto. A vida marinha e bem mais visivel a olho nu do que no Atlantico. Quando estive no litoral peruano, lembro que vi
muitos passaros marinhos e focas nadando ao redor de barcos que rodeavam a costa. No litoral central do Chile, onde estava na semana passada, tambem consegui avistar focas e passaros.
Mas ao redor de Ushuaya pegamos uma excursao e fomos avistar estes animais em seu habitat natural. As focas podiam ser vistam em bandos imensos, e quando chegavamos perto das rochas em que elas
vivem, algumas se atiravam na agua e comecavam a rodear o barco, dando provavelmente as boas vindas, ou nao.
Depois de tudo isso e muito mais, chegamos no Chile apos alguns dias de navegacao.
A primeira parada foi Punta Arenas, ainda na Patagonia Argentina, dai entao fomos para Puerto Montt apos mais um dia de navegacao, e nos deparamos com cidades muito lindas.
No final do cruzeiro pelos fiordes chilenos, atracamos na cidade de Valpara?o que antes era a porta de entrada para o Atlantico, e apos a criacao do canal do Panama perdeu sua importancia,
e com isso parece que parou no tempo. De la adentramos o continente apos passarmos por Vina del Mar, a cidade que abriga um grande festival de musica que ocorre no mes de fevereiro, e fomos a capital
chilena, Santiago.
Santiago e uma cidade bem viva e movimentada, com 6 milhoes de habitantes, engloba cerca de 1/3 de todo o pais dentro de si proria. E tambem palco de um contraste muito grande, por ter bairros bem modernos e ainda sim abrigar lugares que parecem que tambem pararam no tempo.
Na passagem pela capital chilena, tivemos a grande oportunidade de visitar uma das vinicolas mais conhecidas da America, a Concha y Toro, lar do grande Casillero del Diablo.
Apos passar 6 dias na capital chilena, e dar adeus aos meus melhores companheiros de viagem, tomei um bus que me levava de volta ao litoral chileno, desta vez para a cidade de Algarrobo,
que fica na parte central do Chile. La encontrei a Bruna, italiana com quem vivi 3 meses em Rotorua, na ilha norte da Nova Zelandia. Apos passar uma noite com a galera amiga dela, numa casa
de praia que ela tem, voltei para Santiago no dia seguinte para tomar meu voo direto para Auckland, NZ.
Ops, desculpem pelos erros de grafia, mas este pc infelizmente nao conta com acentos ou outras.

Primeira foto: A posicao da Cidade de Ushuaya.
Segunda: A cidade vista do canal Beagle
Terceira: Meus companheiros de viagem desembarcando do Navio "Radiance of the Seas" em direcao a cidade mais ao sul do mundo.

2 comentários:

Eliane disse...

Filhão,
Você também é um companheiro e tanto, desde quando fizemos nossa primeira viagem juntos pelo Sul do Brasil naquela excursão por terra desde aqui.
Quero muito breve tê-lo novamente conosco em nossas aventuras. A viagem de 2011 para os EUA já está acertadíssima, não é ?

Bijos da saudosa mãe que te ama muiiiittooo !!!

Francisca disse...

Tássio...andei olhando tuas aventuras aí tao longe fico feliz de ver que estás conquistando teu espaço...sei que estás conhecendo pessoas e um mundo tao diferente do nosso ...Felicidades pra vc! A tia do coraçao Jesus!